Perguntas Frequentes

Pêlos indesejáveis ou supérfluos, continua a ser um problema para mulheres e homens em todo o mundo. A procura de uma forma de eliminação rápida com efeitos prolongados é desejada por muitas pessoas.
Cremes depilatórios, lâminas e ceras são alguns dos processos utilizados para a remoção de pêlos. São métodos acessíveis, mas que produzem resultados efémeros e que são utilizados em zonas do corpo relativamente pequenas.
A remoção dos pêlos por laser, electrólise ou luz intensa pulsada constituem actualmente os processos mais eficazes na depilação definitiva. Proporcionam um tratamento duradouro e podem ser utilizados em pequenas e grandes áreas do corpo.
A depilação definitiva a laser e a electrólise é eficaz e segura, mas muitos mitos criados devem ser esclarecidos para que os resultados sejam realistas. As clínicas Elizabeth Ministro contam com a experiência necessária para a obtenção de resultados.
Consulte também outras perguntas e respostas sobre estética avançada.

Frequently Asked Questions - All FAQs

Please select your question category

Laser, cuja sigla em inglês significa "Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation", ou seja, Amplificação de Luz por Emissão Estimulada de Radiação. O laser é um dispositivo que produz radiação electromagnética com características muito especiais: é coerente, porque é selectivo, é convergente, porque concentra a energia no ponto de impacto, é uni-direccional, porque atinge o alvo num único ponto, e monocromático porque tem uma única cor. O laser apresenta comprimentos de onda muito específicos e a sua eficácia em depilação deve-se ao seu target e à sua enocuidade, destrói o pêlo e não a pele.

O folículo encontra-se a uma profundidade de 2 a 8 mm, dependendo da zona do corpo em que se encontra. Os laser´s quando utilizados para depilação estão calibrados para atingir um determinado comprimento de onda. O comprimento de onda é diferente de laser para laser. O que atinge maior profundidade é o Nd:Yag, que vai até 1.064 nm e o com menor comprimento de onda é o Ruby, que atinge 694 nm. O comprimento de onda de um laser é um factor determinante da sua eficácia, mas não é o único.

O laser Nd:Yag pode ser usado com segurança e eficácia em todos os tipos de pele, incluindo peles negras e bronzeadas. A tecnologia mais recente permite tratar vastas áreas do corpo com rapidez. Tem como target prioritário a hemoglobina, logo, lê o primeiro o folículo. O Nd:Yag pode ser usado em todos os tipos de pele (tipo I a VI), sendo o único com esta amplitude.

O Alexandrite é o mais rápido de todos os laser's existentes no mercado. É muito versátil no tratamento de grandes áreas corporais e é o mais amplamente utilizado na depilação. Tem como target principal a melanina, daí ser mais adequado para peles claras. É ideal para peles de fototipo I.

O laser de diodo é muito eficaz na pele escura. É, comparativamente, menos eficaz nos pêlos finos e claros. Tem uma rápida taxa de repetição e cobre grandes áreas permitindo um tratamento rápido das maiores áreas do corpo. O laser de diodo é, principalmente, usado em fototipos de pele I a III, no entanto, e segundo a FDA pode ser usado em todos os fototipos, incluindo pele bronzeada.

O Ruby é o mais antigo laser usado em depilação. É mais eficaz na remoção de pêlos claros e finos. Não pode ser usado em pessoas com pele escura e bronzeada. É realmente o mais adequado para pessoas com pele muito clara. Abrange também uma área relativamente menor e tem uma taxa de repetição muito inferior aos outros laser's. Este laser é adequado para o tratamento em peles de fototipo I e II. O laser Ruby está desactualizado.

O fototipo de cada indivíduo determina a cor da pele e a sua reacção à exposição solar (segundo Fitzpatrick).

Tipo I - pele muito clara, queima sempre, nunca bronzeia.
Tipo II - pele clara, queima sempre e algumas vezes bronzeia.
Tipo III - pele menos clara, algumas vezes queima e bronzeia sempre.
Tipo IV - pele morena clara, raramente queima e bronzeia sempre.
Tipo V - pele morena escura, nunca queima e bronzeia sempre.
Tipo VI - pele negra, nunca queima e bronzeia sempre.

A electrólise é o termo usado para descrever o método de depilação permanente. O método, iniciado por volta de 1875, foi o primeiro a ser utilizado para remover permanentemente o pêlo. Usando tecnologia "state-of-the-art", uma quantidade de electricidade é delicadamente aplicada à base do folículo. Este processo destrói o tecido de crescimento do pêlo. Portanto, a capacidade regenerativa do folículo é permanentemente eliminada. Uma agulha muito fina é inserida na abertura natural do folículo juntamente com o eixo do pêlo e uma quantidade de corrente eléctrica é então aplicada para destruir as células de crescimento do pêlo.

Mitos sobre a electrólise conectaram-na como dolorosa. A verdade é que, a electrólise habitualmente não causa muito desconforto. A sensibilidade à dor varia de pessoa para pessoa. Mesmo as mais sensíveis toleram fácilmente o tratamento. Os modernos equipamentos de electrólise, rápidos e eficazes, reduziram consideravelmente a sensação de dor.

As clínicas Elizabeth Ministro utilizam os mais modernos equipamentos de Electrólise.

A Electrólise utiliza a corrente eléctrica para destruir o bolbo piloso, pois é nele que ocorre a germinação do pêlo. É uma técnica especializada de depilação definitiva, tratando-se do método mais seguro e mais eficaz actualmente existente. Quer a FDA (Food and Drugs Administration) como a AMA (American Medical Association) reconhecem a Electrólise como o único método permanente para depilação.

Com a electrólise poderemos evitar situações desagradáveis como: marcas cutâneas e queimaduras provocadas pela emissão de luz. A eliminação do pêlo faz-se através da inserção de uma agulha no folículo, onde a corrente eléctrica depositada o destrói. A electrólise é utilizada há mais de um século, tornando-a no método mais seguro e sem efeitos colaterais significativos. Nenhum outro método, incluindo o laser, pode reclamar tal sucesso universal.

A electrólise é actualmente o único método capaz de remover o pêlo, independemente da sua tipologia ou espessura. A electrólise é o único equipamento indicado na eliminação dos pêlos brancos e finos.

Luz Intensa Pulsada (LIP) não é exactamente um laser, mas "equivalente". Ambos utilizam o mesmo conceito de emissão de luz para a remoção do pêlo. A LIP emite um flash que dispara em todas as direcções, é uma fonte de luz não coerente. Apresenta vários comprimentos de onda e segmentos de cores diferentes. O largo espectro de actuação condiciona os resultados, não sendo selectiva, não é tão eficaz.

Hoje, está disponível no mercado uma panóplia de equipamentos com o mesmo objectivo: a remoção dos pêlos. Indepedentemente do equipamento a utilizar, seja ele laser Neodimio-Yag (Nd:Yag), alexandrite, ruby, diodo, luz intensa pulsada ou electrólise, o tratamento deve ser orientado consoante as características e objectivos do indivíduo e realizados por profissionais qualificados.

"All lasers are not created equal", Lorenzo Kunze (director da Rocky Mountain Laser College).

Todas as tecnologias existentes garantem eficácia! No entanto, a diferença entre umas e outras depende quase sempre da experiência e competência da profissional, do protocolo escolhido, do tipo de pêlo, do tipo de pele, do estado de saúde em que se encontra o paciente e da especificidade de cada equipamento.

Sim, com laser. Contudo, recomenda-se prudência no tratamento, uma vez que, a pele estando bronzeada, o laser pode confundir a melanina com a pigmentação do pêlo e pode provocar queimaduras. O laser é o único equipamento que está recomendado no tratamento de todos os tipos de pele, mesmo a pele bronzeada. O target principal do laser é a hemoglobina (presente no pêlo), seguindo-se a melanina, a queratina e a lipoproteína. Como a luz pulsada intensa não tem um target definido, pode ler pele e pêlo, daí não estar indicado no tratamento de peles bronzeadas.

A electrólise é definitivamente o único método recomendado para remoção de pêlos sem melanina, independentemente da tipologia do pêlo e/ou da pele.

Uma sessão pode durar alguns minutos a uma hora ou mais, dependendo da zona a tratar e do equipamento a utilizar.

O número de tratamentos necessários depende de factores intrínsecos e extrínsecos e relacionam-se com o tipo de pêlo e tipo de pele de cada indivíduo. Assim é que estes factores associados à espessura do pêlo, à extensão da zona a tratar, à concentração de pêlos em cada zona, condicionarão o número de sessões necessárias à conclusão do tratamento. Contudo, os resultados são visíveis logo após o primeiro tratamento.

Algumas alterações hormonais podem modificar o crescimento, a localização e distribuição dos pêlos.
Um largo número de fármacos podem interferir no ciclo piloso, aumentando a densidade pilosa (tanto o hirsutismo como a hipertricose) ou produzir a queda de pêlo. Os mesmos fármacos ou agentes químicos podem induzir reacções fotosensíveis, em indivíduos que após a sua ingestão se exponham ao sol. As mesmas substâncias são geralmente inócuas para a pele quando não há exposição solar.

Estes factores, conjugados ou não, poderão comprometer os resultados a alcançar pela profissional e condicionar as expectativas da paciente. Por isso, é importante alertar a técnica para eventuais distúrbios hormonais e/ou quaisquer medicamentos que esteja a tomar.